celular 0800 703 1550
11

Fevereiro

Como tratar o alcoolismo?

Compreender que o alcoolismo é uma doença e que é preciso auxílio profissional para trata-la são pontos importantíssimos para iniciar o processo de tratamento. Esse reconhecimento é um processo difícil, mas que quanto antes acontecer aumenta e melhora as chances de recuperação.

Infelizmente, o alcoolismo ainda carrega muitos tabus em nossa sociedade, como, por exemplo, considerar que seja uma fraqueza na personalidade da pessoa. Imposições como essa dificultam para que mais pessoas procurem ajuda, fazendo com que o dependente se ache fraco ou incapaz de mudar.

Como em todas as situações que envolvem a saúde, os profissionais são os principais aliados em todas as fases do tratamento. Ao falar sobre o consumo de álcool com o seu médico, seja o mais completo e honesto possível, pois omitir dados dificulta o diagnóstico e quanto antes ele acontecer, maior é a chance de um tratamento eficiente. Até mesmo exames físicos podem ser solicitados nessa fase de diagnóstico da doença.

O tratamento será indicado de acordo com o nível em que a doença se encontra e existem diversas maneiras dele acontecer. Identificar as situações e sentimentos que despertam o desejo de beber é um passo importante para mapear o consumo e, a partir desse momento, é possível apontar se o tratamento será feito por meio de desintoxicação (processo de retirar o álcool de uma pessoa com segurança), uso de medicamentos para tornar o álcool aversivo ou diminuir a compulsão, entre outros meios já existentes na medicina. Os tratamentos podem ser feitos em hospitais, em casa ou em consultas ambulatoriais.

 Todas as formas de tratamento incluem frequentar periodicamente os “Alcoólicos Anônimos”, que se descreve como "uma comunidade mundial de homens e mulheres que se ajudam a ficarem sóbrios". As respostas às visitas ao AA variam de acordo com cada caso, muitos se sentem a vontade e tornam o AA a sua principal fonte de fortalecimento para a recuperação, outros não reagem tão bem às reuniões.

O acompanhamento e proximidade da família são fatores extremamente importantes nesse momento e é por isso que muitos programas oferecem um acompanhamento para cônjuges e familiares do dependente.

O alcoolismo é uma doença tratável, porém não foi encontrada a cura para ela ainda. Ou seja, independente de quanto tempo o paciente estiver sóbrio, ele sempre estará suscetível a recaídas.